ressaca eterna sobre faq index

30.3.11

do you really want me?

Da mesma forma que escrevi um pequeno relato sobre meu show do Franz Ferdinand, queria escrever um sobre o show do 30 Seconds to Mars ontem. Palavras para descrevê-lo? Não tenho. Mencionei algo sobre o show ter sido incrível no twitter, mas um relato precisa ser um pouco mais detalhado.
Retiro tudo de mal que havia dito sobre o Vivo Rio. Não importa onde você estava, conseguia-se ver o palco. E se enxergava bem. Jared Leto estava doente, transparecia em sua voz, mas a sua energia não se abalou nem um pouco. Pulava de um lado para o outro, subia em caixas de som, nos mandava pular, gritar e go crazy. Repetindo... o show foi incrível. Logo no começo, se não me engano durante Beautiful Lie, Jared jogou uma garrafa d'água que ele estava bebendo e eu consegui ser encharcada por ela. Em certo momento, mal o show havia começado, Lillix passou mal. Eu estava pulando, empurrando, quando a senti puxar minha camisa. Olhei para trás e ela estava mais branca a blusa que vestia. Saimos do meio da multidão e fomos até as laterais, onde percebemos que não tínhamos dinheiro nem para comprar água (que o funcionário nos negou, mesmo depois de ter explicado que ela estava passando mal). Uma alma caridosa que estava por perto nos emprestou cinco reais que nunca foram devolvidos, e em menos de quinze minutos Lillix já estava pronta para voltarmos para o show.
Dessa vez ficamos do lado esquerdo, onde estava bem mais vazio. Foi uma boa escolha, Jared passou a maior parte do show lá. Vista perfeita para ver até mesmo seus olhos. E como lá só estava eu, Lillix e duas senhoras que deviam estar acompanhando suas filhas, quando ele olhava na nossa direção, olhava diretamente para nós duas.
O senhor Leto é um tanto perfeccionista. Observava a plateia o tempo todo, analisando sua reação. E também é um profissional. Muito simpático, em momento nenhum o vi destratar algum fã. Tirando uma garota nos camarotes com cara de cu, a quem ele dirigiu algumas palavras não muito agradáveis, mas longe de serem ofensivas. Diria que o ponto alto da noite foi The Kill. Não se conseguia ouvir sua voz de tão alto que o público cantava. E algo que devo deixar registrado é que Shannon Leto pode não ser muito fotogênico, mas é extremamente charmoso pessoalmente e de perto. Entendo agora porque a Molly Misery é apaixonada por ele.
Não perderei nenhuma oportunidade de os ver ao vivo novamente. Jared consegue ser ainda mais bonito ali, em carne em osso.

2 comentários:

Idiótica. disse...

Que sorte hein? Deve ter sido maravilhoso mesmo.

Luara Q. disse...

Escreve muito bem!